Livro: SPICE AND WOLF de Isuna Hasekura

Até o momento já li os dois primeiros volumes (de 17!) desta light novel do genial Hasekura-sensei! Para quem acompanha meu tumblr sabe que sou um otaku de carteirinha. Já assisti a mais de 6500 episódios de animes e inúmeros mangás ao longo da minha vida e tenho que dizer que desde a primeira vez que assisti o primeiro episodio do anime de Spice and Wolf eu já sabia que ele seria um dos meus favoritos, e eu estava certo. Anos depois de assistir essa primeira vez e tendo assistido diversas vezes novamente resolvi me aventurar num novo campo otaku: a light novel.

Para quem não sabe, light novel são livros relativamente curtos feito normalmente para um publico mais jovens e que diversas vezes viram animes por se tratarem de histórias mais simples e focais, cada volume retratando uma aventura em particular dos personagens. E para o desespero de qualquer fã de anime/mangá brasileiro até hoje não encontrei nenhuma traduzida para nosso querido idioma. Então recorri a onipotente Amazon e comprei os dois primeiros volumes da light novel de Spice and Wolf em inglês. Como não tenho nenhuma dificuldade em ler em inglês pude aproveitar completamente a experiência.

Perdoem minha pouca eloquência para descrever esses dois volumes iniciais, mas acredito que um simples magnífico e lindo seja ao mesmo tempo apropriado e completamente inadequado para descrever tamanha beleza na descrição de personagens, diá

logos e personalidades. Os personagens são paixões a primeira vista para o leitor, é impossível não cair nas graças de Holo e se colocar na pele de Lawrence perante tamanha beleza, sagacidade e humor mordaz.

Holo é linda, e mais do que simplesmente uma beleza estonteante ela faz o papel da protagonista forte e movida vezes pela emoção, vezes por sua imensa sabedoria, tirando o personagem feminino de um papel passivo e a mercê do homem, ela é inteligente e na maioria das vezes segue o que bem quer, tirando prazer de tudo o que há para se tirar e por vezes se divertindo enquanto faz de bobo os homens que se acham tão sábios ao seu redor. Verdadeiramente uma mulher que faz com que todos se apaixonem por ela.

Lawrence por outro lado é um personagem que se encaixa perfeitamente na personalidade se sua companheira. Ambicioso e bondoso, a trata como uma igual e não como uma donzela em perigo (as vezes que caiu nessa bobeira se deu muito mal).

O relacionamento dos dois é cheio de reviravoltas e enquanto ambos se aproximam e juntos passam por diversas situações o leitor também vai se aproximando cada vez mais dos personagens, fazendo impossível largar o livro facilmente.

Enfim, ficaria falando horas e horas sobre esses dois volumes que já li (o terceiro ja foi encomendado) mas como dificilmente alguém aguentara ler mais eu paro por aqui fazendo uma super menção ao fato do livro ter belíssimas ilustrações de Jyuu Ayakura que retratam muito bem algumas passagens do livro e te faz ficar parado olhando para as páginas desenhadas durante uns bons minutos antes de retomar a leitura.

Spice and Wolf é maravilhoso e aconselho a todos que sabem ler em inglês a se aventurarem nele, o anime é ótimo, mas a light novel é ainda melhor! E quem não se apaixona por uma garota com orelhas de lobo não é humano!

Filme: DIVERGENTE

Tenho que já avisar de antemão: sou chata para caramba muito seletivo quanto ao que eu assisto, principalmente se tratando de filmes. Isso não quer dizer que não goste de produções mais franzinas de orçamento e que só assista blockbuster, muito pelo contrário. Mas tenho uma certa birra com esses filmes advindos de “livros adolescentes” que estão pipocando para tudo quanto é lado graças ao tsunami Crepúsculo que atingiu as telas há alguns anos e parece que fez uma lavagem cerebral em muita gente, fazendo com que grande parte do mundo esquecesse como se faz e se aprecia um bom filme. Mas vamos ao que interessa, meu veredicto sobre o filme Divergente:

Estou decepcionado. Apesar do filme ter um universo fraco (não li o livro, estou falando do filme, lembrem-se), explicações simplistas para situações culturais e sociais que deveriam ser dificílimas de se mudar de um ponto de vista psicológico e personagens sem muita profundidade ou maturidade, eu achei que o filme poderia se desenvolver de uma forma consistente, principalmente na figura de sua protagonista, que assim como todos nós passa por lutas e difíceis escolhas na adolescência que recaem sobre a questão “o que eu quero”x”o que meus pais sonharam para mim”. Mas a verdade é que deixaram a peteca cair. Criaram um romance fraco, previsível e que enjoa depois de um certo tempo, uma protagonista bonitinha que deveria fazer a transição de menina fraca e desamparada para heroína forte e determinada, mas que acabou saindo de fraca para um pouco menos fraca e lamurienta.

Pontos a favor do filme: é bem melhor que a saga Crepúsculo.

Mangá: Tasogare Otome x Amnesia (Dusk Maiden of Amnesia)

image

Impressionante, belo e cativante. Essas são algumas das poucas palavras que me veem a mente quando tento descrever o que sinto quando leio esse mangá. A arte é simplesmente magnífica, provavelmente um dos mais belos traços, se não o mais belo, que já vi em um mangá, e olha que já vi um bocado deles. Tão belo quanto o traço está a história, que mesmo sendo bem parada e por vezes previsível não cansa o leitor que se disponha a considerar esse ponto como uma limitação natural de uma história que se passa inteiramente dentro de uma escola. Os personagens são interessantes e poucos o que torna a história capaz de se aprofundar nos protagonistas e te fazer se apaixonar por eles. Yuuko-san, a protagonista, um fantasma que está preso em uma escola e não se lembra de seu passado nem porque morreu é bonita, inteligente, sarcástica e atrevida, fugindo do estereótipo de “menina boa e lesada” ou “tsundere” que a maioria dos personagens femininos em mangás e animes hoje fazem. Não quero dar spoilers desnecessários sobre a história então vou parando minha pequena análise por aqui. Vale a pena perder um tempinho lendo esse belíssimo trabalho de Maybe.

Ponto fraco: Apesar de uma história cativante, por vezes ela se torna um pouco repetitiva e previsível, mas ainda assim não cansa o leitor acostumado.

Ponto forte: Quase todos os outros, belíssima arte como pode ser visto nas imagens, personagens interessantes e com conflitos pertinentes.

image

Livro: O SALMÃO DA DÚVIDA de Dougls Adams

Mais do que maravilhoso, extremamente significativo. Este livro não é um livro comum, ele não vai lhe fazer viajar para terras distantes e se apaixonar com personagens excêntricos e cativantes. Ele vai lhe dar uma visão mais pessoal, voltada para o outro lado da caneta, para o autor. Já li a coleção do Mochileiro e sou fã de diversas outras obras que fizeram parte também da vida de Adams como Doctor Who e Monty Pyhton, então ler um pouco a respeito do autor de algumas das mais brilhantes obras que eu já pude ler, ver ou ouvir é um privilégio e esse livro não decepciona em absolutamente nada, exceto talvez por não explicar o motivo de seu título, se é que Adams chegou ele mesmo a saber.

Entre textos contando casos de sua vida particular, suas incríveis palestras e um texto sobre Dirk, um detetive bastante peculiar, esse livro trás o leitor um pouco mais próximo de uma das mentes mais aguçadas e inteligentes dos últimos 100 anos ou mais, me arriscaria a dizer, e que foi arrancado desta vida cedo demais, desesperadoramente cedo demais.

Conhecer sobre a vida de um autor que se goste não é, na minha opinião, necessário para poder se aproveitar inteiramente a sua obra, mas ter um vislumbre de sua vida acaba por tornar a experiência da leitura um pouco mais colorida, um pouco mais rica, e se posso dizer com total certeza, bastante mais divertida no caso do gigante (no amplo sentido da palavra, ele tinha 1,98m de altura) Douglas Adams.

"Para mim, a compreensão sempre vai ser muito mais digna de respeito do que a ignorância" (p.117)

nerdpride

Pausa para ver Scarlett Johansson quebrando tudo em Lucy

nerdpride:

Pausa para ver Scarlett Johansson quebrando tudo em Lucy

image

A Universal divulgou um novo vídeo do filme Lucy, protagonizado pela atriz Scarlett Johansson – a Viúva Negra d’Os Vingadores – e do diretor e roteirista Luc Bensson.

Confira:

Lucy estreia no dia 6 de Agosto, mas só chega no Brasil no dia 18 de Setembro.

View On WordPress